header
menu_cima_esq
INÍCIO
O CLUBE   |   HISTÓRIA   |   ORGÃOS SOCIAIS   |   ESTATUTOS  
23 de Outubro de 2017
DESPORTO  |   EVENTOS / TORNEIOS  |   ALUGUER  |   ACT. RECREATIVAS  |   CONTACTOS  

Agenda
Resultados
Cartazes

cartaz_35

cartaz_25

História

HISTORIAL DE UMA JOVEM COLECTIVIDADE

DA FREGUESIA DE CORROIOS

 

A PRÉ-FORMAÇÃO  DA  COLECTIDADE  EM  1977

O espírito associativo que levaria mais tarde à fundação do Centro de Convívio e, Desportivo de Vale de Milhaços começa a manifestar-se pós 25 de Abril de 1974, quando surgem as primeiras comissões de moradores locais (Cabouca, Marialva, e Vale de Milhaços).

Alguns habitantes, então residentes nesta área, encontravam-se com frequência nos conhecidos cafés Pátria e Acácio e aí iam partilhando vivências, aspirações e anseios, pensando no bem-estar de quantos tinham optado por construir aqui a sua residência.

Em 1976 é eleita uma comissão de moradores que se instala nas precárias e antigas instalações da Quinta do Caseiro, no mesmo local onde ainda hoje se encontra a sede da colectividade. Nesse tempo aproveitaram-se algumas paredes, construíram-se outras e, debaixo de modestas instalações se inicia toda uma actividade não só de convívio entre residentes (sardinhadas, bailes, festas…) mas também de prática desportiva.

Paralelamente, as comissões de moradores que se sucederam foram estabelecendo contactos com a Câmara Municipal do Seixal (Vereador António Matos e Engenheiro Duarte) no sentido de viabilizar a urbanização de Vale de Milhaços e trazer a este povoado condições mínimas de habitabilidade. 

Foi também nestes primeiros anos e neste mesmo local que se instituiu o gabinete de apoio urbanístico da área.

Destes tempos pioneiros de associativismo em Vale de Milhaços destacam-se alguns nomes populares como «Ti Navalhas», o Marouca, o Rafael, o Júlio Simão, o António Mendes, o Américo Gonçalves, o Joaquim Gonçalves, o João Louro ou o Albertino Coiteiro.

A OFICALIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO EM 26 DE OUTUBRO DE 1979

A criação legal do Centro de Convívio e Desportivo de Vale de Milhaços como colectividade dá-se efectivamente a 26 de Outubro de 1979, data em que foi efectuada a escritura da Associação no cartório da secretaria notarial de Almada.

Com sede na designada Rua de Vale de Milhaços, estabeleceu esta como objectivos:

«"promoção cultural dos sócios, através da educação cultural, física e acção recreativa, visando a formaão humana integral, encontrando-se aberta a pessoas de ambos os sexos"».

São sócios fundadores referidos nesta escritura, José Manuel Afonso Nepomuceno, Francisco da Silva Ramos, João Pires Louro, Manuel Pires da Silva, Américo Gonçalves, Albertino Almeida da Costa Coiteiro, Joaquim Fernandes Gonçalves e Virgílio da Silva Ramos.

Foi seu 1.º Presidente da Direcção (eleito) Luís Filipe Pinto.

OS PRIMEIROS ANOS DO CENTRO DE CONVÍVIO E DESPORTIVO

Foi sempre com muitas dificuldades, mas sempre também com muita perseverança e alegria, que as direcções deste simpático Clube de Vale de Milhaços, desenvolveram as mais diversificadas actividades, ao longo de mais de 20 anos.

Inicialmente, as rudimentares e precárias instalações não davam para muito mas, os espaços abertos em torno das habitações eram frequentes e favoreciam as actividades ao ar livre.

O futebol de onze, logo de início, foi sempre dos desportos mais promovidos.

O campo térreo da Quinta da Aniza, localizado próximo do perímetro da fábrica Sociedade Africana de Pólvora e ainda hoje utilizado, constituía já na altura local para a sua prática.

Nesse tempo, sem balneários ou iluminação era muitas vezes um pólo de atracção dos habitantes para o convívio e entretenimento. Só mais tarde se viria a adquirir um gerador eléctrico e a construir cabinas.

A construção de um ringue anexo às actuais instalações da sua sede, proporcionou em meados dos anos oitenta, a dinamização de outras modalidades, como foi o caso do andebol e do futebol de cinco.

O clube nestes tempos viria a ser campeão distrital de futebol da INATEL (três vezes) e campeão da zona sul (uma vez). Também na área do andebol a equipa masculina sénior foi 2 vezes consecutivas campeã distrital assim como campeã da zona sul.

Já no ano de 1988, é finalmente inaugurado o pavilhão polidesportivo, ainda hoje a grande sala de visita da colectividade, onde se passariam a realizar actividades
desportivas e culturais muito mais diversificadas.

Na construção deste pavilhão distinguiram-se Fernando Marques Fernandes e Fernando Lourenço (comissão de obras) que muito se empenharam para que fosse possível promover a prática da ginástica junto das crianças das escolas primárias.

PRÁTICAS DESPORTIVAS INCREMENTADAS ACTUALMENTE

Mantendo uma linha de continuidade, ainda hoje uma das principais modalidades praticadas no clube, continua a ser o futebol de onze e sete.  Tem em actividade uma Escola de Formação do futebol, (Pré Escolas), para o ensino desta modalidade desportiva e, em competição nos campeonatos distritais da Associação Futebol de Setúbal, 2 equipas de Escolas, 2 de Infantis 1 de Iniciados, 1 de Juvenis, Juniores em formação e, a disputar o Campeonato do INATEL, uma equipa de Séniores.

No domínio da educação física, o CCDVM, proporciona não só aos seus associados como também aos residentes de Vale de Milhaços e populações limítrofes o poderem praticar, Ginástica Infantil, Danças de Salão, Rítmica, Manutenção, Esgrima, Capoeira,  Karaté, Aikido, Taekwondo entre outras.  

ACTIVIDADES CULTURAIS E RECREATIVAS DINAMIZADAS NOS ÚLTIMOS TEMPOS.

Nas suas secções culturais e recreativas, tem a colectividade desenvolvido igualmente um óptimo trabalho ao longo do seu percurso histórico. Realça-se o seu grupo coral e instrumental ‘Milho Rei,’o ensino da música, viola clássica e órgão, o festival de acordeonismo, onde participaram instrumentais vindos de vários pontos do País, particularmente do Alentejo e do Algarve.

No contexto das artes decorativas, têm sido ministradas aulas de pintura e artes plásticas, especialmente às camadas infantis e juvenis. Com objectivos essencialmente recreativos, são organizados todos os Domingos bailes e, anualmente o campeonato de danças de salão, dirigido a veteranos e idosos.

As sessões de fados, onde desfilam os melhores artistas nesta área musical, são outra das actividades que leva muita gente a afluir ao salão polivalente deste Centro de Convívio e Desportivo.

Actualmente a Direcção aspira poder concretizar um dos seus objectivos, que é a criação de uma biblioteca.

Contando nesta data com cerca de 1000 associados, o CCDVM tem à frente da sua actual direcção como presidente, Abílio Santos.

Segundo os seus corpos directivos, uma das suas principais aspirações na actualidade tem que ver com a concretização do protocolo a realizar com a Câmara Municipal do Seixal no sentido de efectivar a posse sobre as suas actuais instalações, assim como a remodelação das mesmas.

Lembremos que, para além do pavilhão polidesportivo, todas as outras dependências anexas não foram feitas de raiz e com destino apropriado para as diferentes dependências da colectividade, registando-se actualmente, muitas vezes, um inadequado uso dos espaços.

Toda a área coberta afecta aos gabinetes da direcção, secção cultural, sector desportivo, secretaria, sala de jogos e bar, a direcção actual quer vê-la reconstruída e ampliada a pensar numa melhor funcionalidade.

No âmbito das obras a realizar, os sócios aspiram por uma boa sala de leitura, associada a uma apetrechada biblioteca, e pela construção de um campo de futebol, em condições que dignifiquem a modalidade.

A História do CCDVM ou a de outras colectividades similares nunca terminam. Vamos considerar esta descrição, a 1.ª parte que narra principalmente, como foi fundado e um pouco dos acontecimentos dos seus primeiros 20 anos de existência.


Estes factos da história do CCDVM foram na sua quase totalidade copiados do trabalho dum escritor que estudou e publicou, não só o nosso historial, como também o das outras colectividades da nossa Freguesia de Corroios.

 
Site desenvolvido e mantido por Year2k, Lda.
Visitante nº 1803252